Você pensou que não precisaria mais daquele arquivo, mas agora percebe que ele era muito importante, ou apagou por descuido e agora não pode ficar sem as informações contidas nele. Dias e dias (ou mesmo meses) de trabalho podem ser perdidos dessa forma — e é mais comum do que se imagina.

Além do erro humano, uma empresa pode estar à mercê da tecnologia: talvez tenha confiado todos os dados importantes a um data center físico e uma tragédia, como um curto ou um incêndio, pôs tudo a perder. E quem nunca teve um computador que, da noite para o dia, se tornou um pedaço inútil de lixo eletrônico, junto com tudo o que estava dentro dele?

Para alívio dos apagadores equivocados e dos afligidos por máquinas defeituosas, a recuperação de dados é uma realidade possível em grande parte dos casos. Conheça aqui qual a solução adequada para cada situação:

Prevenção

Se você sabe a importância que os dados têm para a sua empresa, por que os trataria como algo irrelevante? Antes de tudo, cuide e proteja!

Ransomware

Hackers podem estar interessados nos seus conteúdos — conhecimento é poder. Atualmente, o número de sequestros de dados aumentou. E, com isso, grandes quantias são exigidas para a devolução dos arquivos, e a sua divulgação será para sempre um risco, nesses casos. Previna-se: segurança digital é coisa séria.

Backup

Até a idade média, os livros eram copiados um a um para garantir a segurança da sua informação. A tecnologia já evoluiu muito e, hoje, fazer cópias é absurdamente simples. Tenha um backup dos seus arquivos, mas é importante que seja distante do seu armazenamento principal — de que adiantaria uma cópia perfeita da biblioteca de Alexandria exatamente ao lado da original? Só aumentaria o tamanho da fogueira.

Uma ótima solução é fazer o armazenamento diretamente na nuvem, com o G Suite. Tecnicamente falando, a chance de se perder um arquivo na plataforma é significativamente menor que em dispositivos físicos individuais. Por oferecer armazenamento ilimitado, ele reduz a probabilidade de erro humano — nada precisa ser apagado. 

Backups precisam ser feitos com o máximo de periodicidade possível, mas, na melhor das hipóteses, ainda se estará sujeito a perder algumas horas de trabalho entre um e outro. O G Suite salva as alterações automaticamente, acabando, inclusive, com aquele problema de quando o computador trava e você percebe que não salvou o que fez nas últimas quatro horas de trabalho.

Se você leu esse texto antes de uma emergência, esse tópico já deve ter resolvido tudo. Se não, veja o que ainda pode ser feito:

Lixeira

Parece óbvio, mas não custa relembrar: arquivos excluídos apenas com “Del” ou com o “excluir” do botão direito do mouse estarão ainda à sua disposição na lixeira da área de trabalho, do Gmail, e da maioria das plataformas. Depois de um tempo pré-determinado ou ao exceder a capacidade máxima da localidade, eles serão apagados de verdade, mas, até lá, é só pesquisar e recuperar.

Caso você use o “Shift + Del” na hora de excluir, eles já vão diretamente para o limbo. Siga para o próximo tópico.

Softwares de recuperação

Algumas pessoas não sabem, mas os dados deletados continuam no dispositivo, apenas não estão mais acessíveis e funcionais, e seu espaço fica disponível para ser ocupado por novos arquivos, quando houver. Agindo logo que se percebe a perda, é muito provável que a recuperação seja bem-sucedida.

É importante paralisar as atividades da máquina ou dispositivo removível onde se perdeu o arquivo até que a recuperação seja feita, para garantir que nada — nem mesmo arquivos temporários — causarão danos a informação procurada. Geralmente, não se tem o software instalado até precisar dele, então é recomendado fazer uso de um pendrive para rodar o programa externamente.

Essas são as principais formas de manter os seus arquivos em segurança e fazer a recuperação de dados, quando necessário. Você já utilizou alguma delas? Que tal nos contar como foi a sua experiência? Deixe um comentário!