É constante na vida dos gestores a preocupação com as melhores formas de gerenciar a equipe e de lidar com problemas como a perda de produtividade e a crescente falta de comunicação interna. Por isso, ao longo dos anos foram desenvolvidas diversas metodologias de gerenciamento que podem auxiliar a gestão de TI.

Conheça no artigo a seguir algumas das principais dicas que podemos extrair delas:

Tenha metas claras e bem definidas

Não importa o quanto o trabalho esteja fluído, existe sempre aquela perguntinha que fica martelando na cabeça dos gestores de TI: “Será que o trabalho está no caminho certo?”.

O único jeito de responder essa pergunta é sabendo para onde se deve ir. Por isso, é essencial que a empresa tenha um planejamento de TI com metas claras que devem ser atingidas pelo setor e estejam de acordo com os objetivos gerais do negócio.

Use indicadores-chave

Pronto, o setor de TI já tem metas claras e bem definidas para perseguir! Agora todos os motores serão direcionados para esse objetivo. Mas como fazer o acompanhamento disso? Uma forma muito popular e eficiente de metrificar e medir os objetivos é por meio da definição e monitoramento de KGIs e KPIs.

Key Goal Indicators, ou simplesmente KGI, são indicadores-chave de objetivo, métricas cuja principal função é confirmar se uma meta importante para os negócios foi atingida.

Os KGIs apontam o que precisa ser realizado para um projeto ser considerado bem-sucedido. Devem ser objetivos e facilmente mensuráveis, preferencialmente expressados em formatos de números ou porcentagens. Eles exibem como a TI contribuiu para a missão e objetivos da empresa e, assim, garantem o alinhamento entre o nível operacional e o estratégico.

Já os Key Performance Indicators são indicadores-chave de desempenho utilizados para quantificar a evolução do trabalho e ajudar a planejar o curso de ação a ser seguido. O KPI aponta o quão bem um processo está cumprindo seu objetivo de alcançar o KGI e é frequentemente usado para medir valores como benefícios, eficiência, eficácia, qualidade e satisfação.

Monitore o tempo gasto

Administrar bem as horas trabalhadas é importantíssimo para aumentar o rendimento da equipe. Para realizar uma boa gestão de tempo em TI, é preciso aplicar o Time Tracking, ou seja, a contabilização e o controle de quantos minutos são investidos em cada tarefa pelos membros da equipe.

A gestão e controle do tempo trabalhado são a forma mais eficiente de descobrir problemas de produtividade como, por exemplo, se alguma tarefa rotineira demorou muito mais do que a média, ou se algum tempo considerável foi investido em atividades não prioritárias.

Saiba delegar

Dwight Eisenhower foi um general de 5 estrelas que governou os Estados Unidos entre 1953 e 1961. Durante a 2º Guerra Mundial, ele era um dos líderes das tropas norte-americanas e, em busca dos melhores resultados, desenvolveu um método eficaz de tomada de decisão no qual delegava as tarefas de acordo com a importância de cada uma e tomando para si apenas as questões mais prioritárias. O que não fosse urgente ele delegava a outras pessoas ou simplesmente eliminava da lista de afazeres.

O método desenvolvido por Eisenhower se tornou popular com o passar do tempo e atualmente serve de base para diversas metodologias de gestão com foco na priorização de tarefas. Delegar é essencial, principalmente após um período de crescimento da empresa. A centralização com o tempo pode levar ao desalinhamento da equipe.

A forma mais prática de fazer a priorização é dividir cada projeto em pequenas tarefas e classificá-la em ordem de importância e urgência de acordo com o impacto de cada uma nos objetivos do setor de TI. Delegue o que for possível e elimine o que se mostrar desnecessário naquele momento. O gestor deve se focar apenas nas tarefas prioritárias.

Essas são apenas algumas dicas que vão ajudar na árdua tarefa de gestão de TI. Cabe a cada gestor extrair o melhor de cada um delas e ver como elas podem ser adaptadas ao seu contexto. Quer receber ainda mais dicas? Então assine a nossa newsletter!