A computação na nuvem tem modificado a forma como várias empresas lidam com as suas demandas internas e externas. Da prestação de atendimentos externos aos processos de gestão de projetos, todas políticas corporativas são afetados por essa nova tecnologia.

Os processos de governança de TI também foram afetados por essa novidade. Os serviços na nuvem dão ao gestor uma maior capacidade de acompanhar o progresso de projetos internos, avaliar como a infraestrutura é utilizada e distribuir tarefas com maior agilidade. Além disso, a comunicação entre profissionais é simplificada, aumentando o compartilhamento de dados entre áreas.

Se você quer saber mais sobre essa tendência e como as políticas de governança são afetadas após a companhia investir em serviços na nuvem, veja o nosso post abaixo!

O que é a política de governança de TI?

A política de governança de TI é um dos pilares do trabalho de profissionais de área. Bem implementada, ela garante que o negócio aproveitará ao máximo os seus ativos, obtendo um retorno considerável sobre os seus investimentos e reduzindo custos e erros operacionais.

Uma política de governança de TI bem estruturada dá ao negócio as bases para gestores analisarem, compreenderem e administrarem os recursos humanos e computacionais disponíveis para a área. Além disso, as rotinas de governança de TI auxiliam a empresa a atuar com maior integração em um ambiente digital sólido e confiável. 

Como essa estratégia pode ser aplicada nos serviços na nuvem?

As normas de governança passarão a incluir regras para backup, controle de acesso e atualização dos serviços de cloud computing. Isso pode ser obtido por meio de ferramentas como o Google Vault, da G Suite, que tornam simples o acesso a arquivos, implementação de normas de segurança e controle. Tais medidas reduzem o tempo e o impacto causados na infraestrutura do empreendimento.

É preciso pensar também no uso da computação na nuvem como forma de criar valor estratégico para a companhia. Gestores implementarão rotinas para centralizar em um único local parte dos processos de gestão, por meios automatizados ou manuais. Assim, pode-se ter um acompanhamento preciso do dia a dia de cada projeto e, com os dados levantados, pensar em novas formas de atuação.

A importância de manter processos eficazes

A tecnologia tem desempenhado um papel de destaque no meio corporativo. Com o auxílio de profissionais e soluções de TI, empresas estão maximizando os lucros e ganhando mobilidade.

Nesse cenário, as normas de governança deve ser reajustadas, evitando que aparelhos da Internet das Coisas e soluções de TI tornem-se a sua maior fonte de problemas. Além disso, a nuvem também pode ser integrada os processos de governança do setor de TI, ampliando a capacidade de técnicos atenderem a demandas com alta qualidade e precisão. Em longo prazo, a união dos serviços na nuvem com a governança de TI cria um novo papel estratégico para o negócio, pautado pelas atividades de alta qualidade e eficiência.

Gostou do nosso artigo e quer ficar por dentro das novidades do blog? Que tal seguir a nossa página no Facebook para receber alertas sobre notícias e tendências?