Um software pirata é aquele que foi duplicado e distribuído sem autorização do fornecedor de origem. Uma série de atividades poderia ser considerada pirataria de software, sendo o exemplo clássico quem faz várias cópias de um programa para vendê-las.

A maioria dos softwares hoje é comprada como uma licença, o que significa que apenas um computador pode ter esse software instalado. Copiar esse software para vários outros ou compartilhá-lo com seu amigo sem múltiplas licenças, por exemplo, é considerado pirataria de software, o que é ilegal. Essa prática pode ser feita também por meio do download, compartilhamento, venda ou instalação de várias cópias de software em computadores pessoais ou de trabalho. 

Existem vários perigos de software pirateados que devem impedir você de usar esses produtos em seu computador. Alguns problemas são óbvios e devem estar sempre na ponta da língua, enquanto outros são um pouco mais difíceis de perceber ou de pensar. 

Quer saber quais são os riscos aos quais você está sujeito pela aquisição de um software que não seja original e totalmente certificado? Confira neste post que preparamos sobre o assunto!

Riscos de segurança

O software pirateado pode transportar vírus e outros tipos de malwares que infectam os computadores. Algumas das cópias piratas do Windows pirateadas, por exemplo, vêm infectadas e baixam automaticamente o malware assim que os computadores se conectam à internet. 

Mesmo que alguns softwares pirateados não estejam infectados, podem representar um risco de segurança por falta de atualizações: algumas cópias de software pirateado podem não ser atualizadas corretamente, levando os usuários a continuar usando versões antigas com furos de segurança.

Riscos de produtividade

Além de furos de segurança, o uso de um software pirata desatualizado pode fazer com que os usuários encontrem erros e falhas, levando à perda de trabalho, perda de tempo e frustração. Os hacks usados ​​para executar o software pirateado também podem interferir na operação do software, impedindo que um programa acesse recursos online para evitar a detecção. 

Além dos problemas com o próprio software, os programas pirateados não possuem garantia e acesso ao suporte ao cliente, tornando mais difícil a obtenção de ajuda quando ocorrem problemas.

Riscos legais

O uso de software pirateado traz grandes penalidades ao abrigo da lei de direitos autorais para os usuários capturados no ato. No Brasil, ela pode variar de 6 meses a 4 anos anos de detenção, além da multa. Ou seja, o proprietário dos direitos autorais também pode processar por danos, que podem representar até 3 mil vezes o valor de cada software pirateado.

Embora a ideia de pirataria de software possa evocar uma imagem de um usuário de computador em casa, fique atento: ela geralmente ocorre em empresas, colocando companhias inteiras em risco legal.

Como vimos até aqui, há sérios perigos que espreitam atrás de um software pirata e você precisa ser cuidadoso com suas compras. Mesmo que economizar algum dinheiro seja sempre um fator motivador para os compradores, essa não deve ser a única variável que você deve levar em consideração. 

Ser seguro e evitar problemas muito mais graves deve ser a sua principal prioridade! Então, não se deixe levar pelas sirenes do compartilhamento de arquivos e da pirataria e tome todas as precauções necessárias que lhe oferecerão a paz de espírito!

Se você gostou deste post sobre os problemas em usar softwares piratas, então curta nossa página no Facebook para acompanhar as nossas atualizações direto na sua timeline!