O mercado da Tecnologia da Informação muda rapidamente e, nesse cenário, empresas que possuem rotinas que dependem do cloud computing devem estar prontas para executar a migração de nuvem quando o negócio decide mudar de prestador de serviços.

Esse é um processo simples, mas que — em muitos casos — enfrenta a resistência de gestores em função de mitos comuns. Quer saber quais são eles? Então confira a lista abaixo!

1. É preciso estar sempre on-line para executar a migração de nuvem

A migração de nuvem não exige que o empreendimento esteja on-line durante todo o processo. Feito por um time especializado ou com o apoio de APIs, essa atividade pode ser executada de maneira automatizada.

Isso eliminará a necessidade de o técnico estar conectado durante toda a migração. Será necessário apenas avaliar se existiram erros durante a migração, realizar correções e verificar os resultados. Dessa forma, a companhia consegue manter um foco direto nas suas rotinas críticas e garantir que a migração de nuvem seja feita da melhor forma possível.

2. Existe perda de controle sobre os dados ao migrar de nuvem

Na hora de investir na migração de nuvem, a empresa pode temer perder o controle sobre os seus dados. Como as informações estão sendo movidas para um novo ambiente, existe sempre o medo de que o acesso a algum recurso fique prejudicado. Porém, se o investimento for feito da forma correta, as chances de isso ocorrer são nulas.

Com o apoio de um bom time de suporte e processos bem estruturados, a migração de nuvem pode ser feita de forma que o negócio tenha poucas dificuldades para mover os seus dados. A companhia conseguirá, então, garantir que o acesso aos seus recursos seja mantido sem comprometer as operações que dependam dessa tecnologia.

3. Manter os dados localmente é mais seguro do que na nuvem

Esse é um dos mitos mais comuns quando se trata de investimentos na nuvem. A ideia de que manter informações localmente traz mais segurança para o negócio está atrelada a noção de que, na nuvem, o empreendimento perderá o controle sobre as suas informações.

Porém, o que define o nível de segurança da nuvem são os recursos de controle disponibilizados para os profissionais. Portanto, sempre que o negócio optar por investir em um serviço de cloud computing, é importante avaliar como as políticas de segurança estão estruturadas e quais recursos são disponibilizados para os usuários.

4. É necessário migrar todos os serviços para a nuvem

A migração de nuvem não exige que a empresa mova todos os seus sistemas para a nova infraestrutura de cloud computing. O negócio pode integrar apenas algumas aplicações, o que reduzirá o prazo para finalizar o processo e oferecerá um retorno mais rápido sobre o seu investimento.

No cenário em que o negócio investe em uma nuvem híbrida, por exemplo, algumas aplicações podem ser mantidas no ambiente público já existente. Assim, a companhia migrará apenas as ferramentas que podem aproveitar melhor os recursos desse tipo de infraestrutura para o novo ambiente. Esse processo reduzirá gastos e simplificará as rotinas de gestão.

Como você pode ver, a migração de nuvem é um investimento que envolve vários profissionais e exige planejamento. Feito da forma correta, ela garante que o negócio possa se manter eficiente sem comprometer os seus custos e a sua produtividade. Dessa forma, a empresa poderá aproveitar todos os benefícios dessa tecnologia e gerar mais oportunidades de negócio!

Quer saber como migrar de nuvem com o apoio de um time especializado? Então entre em contato conosco e conheça nossas soluções!